top of page

Empreendedor, eu? Será que eu consigo montar um negócio?



 

Empreendedor, eu? Será que eu consigo montar um negócio?


Você sempre pensou em abrir um negócio ou abrir um negócio nunca esteve nos seus planos… Tanto faz qual era a sua ideia inicial. O mais importante agora é: você teve uma ideia bem legal e acha que pode ser um bom negócio, mas não tem certeza se vai dar certo. 


Às vezes é uma coisa bem simples, você é bom na cozinha e seus amigos querem comprar seus bolos, outras vezes, você sabe tudo de música, em especial de vinil, e as pessoas começam a lhe contratar para tocar na festa delas, mas também querem comprar os vinis que você toca. Ou seja, de repente, pode virar um negócio.


Bom, se vai dar certo é a nossa principal dúvida, abrir um negócio sempre tem risco, eu sou do time dos que acham que é preciso arriscar e experimentar. Arriscar é importante, mas é fundamental entender tanto quanto possível como as coisas podem se desenvolver: o que pode dar certo, mas também o que pode dar errado, qual o tamanho do risco. Ao avaliar o risco, você pode tentar reduzi-lo ao máximo e se preparar tanto quanto possível para tentar fazer o negócio dar certo. 


Aqui, algumas dicas de perguntas para você se fazer e cuidados a tomar antes de abrir o negócio:


1.Que serviço ou produto pretendo oferecer?

Essa é a pergunta inicial: o que eu posso oferecer que vai tornar a vida dos meus clientes melhor ou mais simples? O produto ou serviço precisa ser algo que vai contribuir para a melhoria da vida de alguém e, super importante, as pessoas precisam querer e poder pagar por este produto ou serviço.


2. Quem são os meus clientes?

Seus clientes são as pessoas que acham que a vida delas vai ser melhor com seu produto ou serviço e, por isso, estão dispostas a pagar por ele. Para aumentar as chances do seu negócio dar certo é interessante saber quem são essas pessoas (se você faz bolo, quem são as pessoas que compram bolo? Pessoas que vão dar festas, pessoas que organizam festas, pessoas que vendem refeições e podem querer oferecer sobremesas etc. Ou, no caso do especialista em música, pessoas que adoram música, que curtem vinis, que organizam eventos etc.).


3. Qual estrutura eu preciso para começar o negócio?

Você precisa saber qual a estrutura mínima que você precisa para começar o negócio. De volta aos nossos exemplos: no caso do bolo, você precisa de acesso a uma cozinha, dinheiro para comprar os ingredientes, uma embalagem para o bolo depois de pronto, um telefone para se comunicar com o cliente. Existem várias formas de você fazer isso, dependendo dos recursos que você tem e da sua criatividade. Se você tiver dinheiro para começar, show! 

Se não, você sempre pode tentar vender primeiro (caso em que o cliente precisa confiar mais em você). É bom ter uma forma de se comunicar com os clientes, então, um telefone com acesso a mensagens ajuda muuuuito. E um perfil em rede social? Olha só, as coisas estão evoluindo...


4. Como os meus clientes vão chegar até mim?

Todo empreendedor que se preze é fã do boca a boca... bbb (bom, bonito e barato!)... mas, para a maioria de nós, não é o suficiente. O ideal é promover o máximo possível o seu negócio, dar um nome para o negócio, fazer uma identidade visual bonita. Mas, se não der para criar de início essa identidade visual, o que você já pode fazer é contar para todo mundo que você conhece sobre o seu novo negócio, em conversas, aplicativos de mensagens, lugares nos quais você for e por aí vai.


5. Qual o custo do produto ou do serviço?

Saiba exatamente quanto o produto ou o serviço custam para você, quanto você vai gastar para oferecer o produto ou serviço. Não esqueça nada, seu tempo, obviamente, é algo bem valioso - não esqueça de incluir o valor desse tempo.

Essa informação é fundamental para que o seu negócio possa prosperar. No mínimo, você precisa saber quanto custa para repor a mercadoria, ou para fazer valer o seu tempo. Assim, ainda que o negócio não fique super grande, você dificilmente vai ter prejuízo.


6. Que preço posso cobrar dos meus clientes?

Então, antigamente, o custo era o principal elemento para definir o preço de um produto. Há muito tempo não é mais assim. É importante saber o custo, como discutimos acima, mas também é muito importante saber quanto o produto ou serviço vale para o cliente: quanto o cliente está disposto a pagar por ele. 

Nesse aspecto, entram não só o custo para oferecer o serviço ou o produto, mas também outros elementos: quanto cobram outras empresas no mesmo mercado? Qual a percepção de valor do produto para o cliente? O seu produto tem algum diferencial que o torna mais valioso? Ou alguma caraterística que o torna menos valioso do que produtos semelhantes? O preço que você pode cobrar é um preço que cubra seus custos, que lhe dê lucro e que deixe a grande maioria dos clientes satisfeitos, com a sensação de terem adquirido algo que vale a pena. 


7. Quanto de dinheiro eu preciso para ter uma chance de que o negócio dê certo?

O mais importante é saber que, muito provavelmente, vai levar um tempo para qualquer novo negócio deslanchar. Então, é preciso, na medida do possível, fazer uma programação para isso. Não significa necessariamente ter dinheiro no banco, mas ter um plano para tocar o negócio (e sua vida), enquanto ele ainda não estiver gerando a renda ideal.


A gente pode e vai aprofundar cada uma dessas ideias. E, depois, vamos passar para aspectos mais técnicos de negócios e jurídicos, para que você possa montar o seu negócio com segurança e sucesso. Acompanhe a gente aqui no blog da Colabora!

26 visualizações0 comentário

Comments


BANNER2---Colabora.jpg

ENDEREÇO FISCAL

Enquanto uma empresa cresce, não dá para estar em todos os lugares. Mas aqui temos um cantinho para a sua

R$

50

todo mês

Eu quero
ELEMENTO-BANNER-2---Colabora.png

+100
clientes

+20
soluções

5
anos no mercado

ondas-rodapé.png
bottom of page